O ouro do Morro - Breve Cronologia

1885 - A empresa denominada Resende CIA incumbiram o Engenheiro Gonzaga de Campos a realizar pesquisa na zonade Apiaí, tendo sido a propriedade do Morro do Ouro considerada a mais importante entre as estudadas.

1889 - José de Souza organizou uma sociedade, instalando pilões de madeiracom sapatas de aço para trituração do minério, construido também uma estrada de carros de boi subindo o Morro.

1902 - Antonio Melchert constituio, com alguns amigos, a empresa Antonio Melchert e Cia, montando um sistema com dez pilões e completo equipamento para amalgamação e cianetação. A iniciativa não produziu os resultados esperados, sendo paralisada em 1904, limitando-se à pesquisas em pequena escala até 1910.

1910 - David Carlos Macknight, Frank Edward Krug e Walter Charnley tiveram uma opção para estudar a jazida oportunamente e constituir uma empresa mineradora. Planejando operações conjuntas com as instalações de Melchert, encomendaram um moinho com capacidade de 50 toneladas diárias, mas, a morte súbita do último, levou ao fracasso o empreendedorismo. O maquinário encomendado ficou depositado em Itapeva, conhecido até aquele momento como Faxinal, lá ficou até 1922.

1922 - Macknight e seus sócios adquiriram as propriedades Morro do Ouro e Água Limpa. No mesmo ano um incêndio destruiu as instalações de Melchert. Mesmo assim, o grupo continuou a lavra do minério, abrindo 1.600 metros de galerias e recuprando 6,5 quilogramas de ouro através do processo de amalgações até o nao de 1924.

1939 - Com o advento do Código das Minas, os sócios, David Carlos Macknight, Frank Edward Krug e Walter Charnley coneguiram o Manifesto de Mina sob o Registro N°939, de 20 de abril de 1939. A mina e seus imóveis estavam arrendados desde março do mesmo ano para a CIA de Mineração Apiaí, com participação de capital japônes, pelo prazo de 15 anos. A atividade dessa empresa foi autorizada pelo Decreto nº 5 de 21 de Dezembro do mesmo ano e deu-se inicio imediato as atividades mineradoras. No período de um ano, foram abertos 2.500 metros de galerias, hoje conhecidos como os túneis, das quais saíram cerca de 10.000 toneladas de minério a um teor médio de 5 gramas de ouro por tonelada. Na época, as reservas de jazida foram estipuladas em 100.000 toneladas de minério.

O tratamento do minério seguia os seguintes processos:
Britagem, moagem, recuperação do ouro grosso por amalgamação com mercúrio. O ouro fino era recuperado por cianetação, onde o minério era diluido em uma soluçao de cianeto de sódio e, após filtragem, recuperado por precipitaçãocom adição de zinco.
Trata-se de um processo muito utilizado noas dias atuais. Essa foi a época de maior movimento na cidade e foi onde se extraiu mair quantidade de ouro do Morro.

Contam algumas pessoas que trabalharam no empreendimento nessa época, que o Morro chegou a ter 150 pessoas trabalhando.

1942 - Acredita-se que o ouro extraido nessa última época tinha como rota a cidade de São Paulo e seguia clandestinamente ao Japão.
Uma das alegações que levaram ao fechamento da da mineração em pleno início da 2ª Guerra Mundial.
Alguns dizem que o ouro saía de São Paulo embrulhado em feltros, mas, segundo relatos de um dos poucos funcionários dessa época ainda vivos, o ouro era fundido e saia em pequenas barras, chamada lnigotes que ele mesmo levava à São Paulo, ele cita até o endereço de entrega.