Árvores do Morro

Árvores do Morro - Aroeira-vermelha

Aroeira-vermelha , Schinus terebinthifolius, Apiaí, 

Aroeira-vermelha

Schinus terebinthifolius

 

Aroeira-vermelha , Schinus terebinthifolius, Apiaí, 

Pertence a família Anacardiaceae.

Aroeira-vermelha, aroeira-pimenteira ou poivre-rose são nomes populares da espécie Schinus terebinthifolius, árvore nativa da América do Sul.

Outros nomes populares:

aguaraíba, aroeira, aroeira-branca, aroeira-da-praia, aroeira-do-brejo, aroeira-do-campo, aroeira-do-paraná, aroeira-mansa, aroeira-negra, aroeira-precoce, aroerinha-do-iguapé, bálsamo, cambuí, fruto-do-sabiá. 

logogo2  

Foto Galería

Árvores do Morro - Aroeira-salsa

 Aroeira-salsa, Schinus molle, Apiaí

Aroeira-salsa

Schinus molle

 

 Aroeira-salsa, Schinus molle, Apiaí

Árvore de folhas perenes, altura até 8 metros, com tronco de até 35 cm de diâmetro, folhas compostas, de folíolos bem finos.

As flores são amareladas, bem pequenas, seguidas de frutinhos globosos, vermelhos.

É uma planta que ocorre desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, em campos de altitude.

A aroeira-salsa e a aroeira-pimenteira são usadas em culinária, recebendo na França o nome de poivre rose, um tipo de pimenta doce.

Usada em medicina popular. Indicada medicinalmente no tratamento da artrite, febres, ferimentos e reumatismos.

Ávila registra os seguinte usos etnofarmacológicos: antiinflamatória, atiespasmódica, tônica, vulnerária, diurética, antileucorréica, emenagoga, adstringente, cicatrizante, balsâmica e bactericida. Assinalando ainda que com a resina azulada da casca os jesuítas preparavam o “balsamo das missões” de uso corrente entre a população cabocla

Como é de pequeno porte, é indicada para plantio em calçadas.

logogo2  

Foto Galería